Instituto Mamirauá vai à escola em Campo Grande

Publicado em: 31 de julho de 2019

Primeiro, os postais. Depois, a convocação para visitar as escolas. Em abril deste ano, a rede municipal de ensino de Campo Grande mobilizou estudantes que escreveram postais convidando pesquisadores para visitar a capital do Mato Grosso do Sul, durante a 71ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), realizada entre os dias 21 e 27 de julho, na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (MS). Profissionais do Instituto Mamirauá receberam os postais e retribuíram o convite com apresentações na Escola de Tempo Integral (ETI) Ana Lúcia de Oliveira Batista realizada ontem, dia 25 de julho.

A veterinária Louise Maranhão, pesquisadora associada ao Grupo de Pesquisa Ecologia e Conservação de Felinos na Amazônia, falou sobre as onças-pintadas e trabalho de pesquisa do Instituto Mamirauá. “A estrutura da escola é fantástica e os estudantes muito interessados em conhecer o trabalho do Instituto. Foi um bombardeio de perguntas. Uma estudante pediu meu contato depois para o caso dela ter mais dúvidas falar comigo depois (risos). Também foi uma oportunidade bem interessante para inspirar crianças para o trabalho de pesquisador”, disse a pesquisadora, que trabalha na Amazônia desde 2011. 

Everson Tavares

Além de Louise, a bióloga Polliana Ferraz também participou da atividade. A técnica do Programa de Manejo de Pesca do Instituto Mamirauá apresentou aos estudantes do 5º ano do ensino fundamental, a iniciativa que vem recuperando os estoques de pirarucu na Amazônia, por meio do manejo participativo. “É uma escola modelo e eu fui muito bem recebida pela direção, pelos professores e principalmente pelos estudantes. Foi maravilhoso ouvir como eles gostam de ciência. Durante a palestra, eles demonstram isso com um turbilhão de perguntas e um interesse maravilho. Ao final, eu ganhei um monte de cartinhas falando de como eles estavam interessados. Foi muito gratificante”, disse Polliana. 

Segundo Analice Teresinha Talgatti Silva, da Secretaria Municipal de Educação, a SBPC 2019 proporcionou um contato mais próximo entre pesquisadores e estudantes: “A visita na ETI Ana Lúcia de Oliveira Batista encantou os alunos e professores dos 5º anos. Jamais imaginaríamos que, ao receberem os cartões-postais, as pesquisadoras quisessem conhecer a escola e conversarem com os alunos. Foi uma experiência incrível, aguçou a curiosidade das crianças por meio do conhecimento expostos por Louise e Polliana. As crianças tiveram uma oportunidade única, de conversar de perto com pesquisadoras dedicadas e apaixonadas pelo que fazem, além de entenderem a importância da pesquisa científica. A troca de experiência valeu muito”. 

Instituto Mamirauá recebeu sete postais de estudantes da ETI Ana Lúcia. Esses alunos foram presenteados com uma mochila com publicações e materiais da instituição. 

Texto: Eunice Venturi, vídeo: Everson Tavares




Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: