Instituto Mamirauá - Conservação na Amazônia - Linha do tempo - https://mamiraua.org.br/pt-br/institucional/linha-do-tempo/

Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá

Institucional

Rafael Forte

Linha do tempo

1980
- O primatólogo José Márcio Ayres inicia seus estudos nos rios da região do Médio Solimões.

1990
- Criação da Estação Ecológica Mamirauá (EEM).
- Criação do Projeto Mamirauá.

1992
- Criação da Sociedade Civil Mamirauá (SCM).

1993
- A EEM realiza sua primeira Assembleia Geral.

1996
- Estação Ecológica Mamirauá é transformada em Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (RDSM).
- SCM publica o primeiro plano de manejo da Reserva Mamirauá.
- SCM coordena o Projeto Corredores Ecológicos do Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PPG7).
 
1998
- Governo do Amazonas cria a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã.

1999
- Criação do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá.
- O Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, qualifica o Instituto Mamirauá como Organização Social ligada ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

2000
- A categoria de RDS é aprovada pelo Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC).

2001
- Firmado o primeiro contrato de gestão entre o Instituto Mamirauá e o MCT.
- Início da replicação do sistema de manejo de pirarucu para pescadores de Santarém (PA) e da Guiana Inglesa.

2002
- O Presidente da República Fernando Henrique Cardoso visita a Reserva Mamirauá.

2004
- Início dos abates experimentais do manejo de jacarés.
- Instituto Mamirauá promove o 1º Seminário Anual de Pesquisa (SAP) e estrutura os Grupos de Pesquisa.
- Inauguração da nova sede do Instituto Mamirauá, construída com recursos obtidos junto à Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP/MCT).

2005
- Moradores das reservas passam a assumir a responsabilidade pela organização das assembleias gerais, com apoio do Instituto Mamirauá e outras instituições.

2006
- Elaboração do primeiro Plano Diretor do Instituto Mamirauá, visando consolidar sua inserção no cenário da ciência e tecnologia da Amazônia.

2007
- Levantamento populacional em toda a região da área subsidiária (864.000 ha) da Reserva Mamirauá e proposta de zoneamento dessa área.
 
2008
- Inauguração do prédio destinado a abrigar a equipe de Pesquisa, obra com financiamento da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP/MCT).
- Início do rastreamento on-line da produção de pirarucu manejado.
 
2009
- Construção do Laboratório de Selva na Reserva Amanã.
 
2010
- Instituto Mamirauá promove o 1º Seminário de Manejo Florestal Comunitário em Área de Várzea, com apoio de outras instituições.
- Governo do Estado do Amazonas oficializa a criação do Conselho Gestor da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá.
 
2011
- Governo do Estado do Amazonas assina, em junho, a resolução nº 008, de 22/06/2011, do Conselho Estadual do Meio Ambiente do Amazonas (CEMAAM) e instrução normativa nº 001, de 29/06/2011, que regulamentam o manejo, abate e processamento de jacarés em unidades de conservação estaduais.  As normas foram idealizadas a partir da formação de um grupo de trabalho (GT), criado em janeiro, com participação do Instituto Mamirauá.
 
2012
- Gravações na Reserva Mamirauá do filme "Mamirauá", pela O2 Filmes, por solicitação do Governo Federal do Brasil para ser apresentado durante a Rio + 20, que foi realizada em junho, no Rio de Janeiro.
- Realização do 1º Seminário Internacional sobre Conservação e Manejo de Pirarucu em ambientes naturais, em Manaus (AM).
 
2013
- Instituto Mamirauá participa de um esforço internacional, com parceiros de outros países latino-americanos, visando levantar populações de mamíferos aquáticos em várias bacias de rios da Amazônia.
- Com recursos do Fundo Amazônia, o Instituto Mamirauá deu início às atividades do projeto para a redução das emissões por desmatamento e degradação ambiental.
- Início das atividades do primeiro experimento em sistemas fotovoltaicos interligados à rede pública em toda Amazônia. Este experimento está sendo desenvolvido no campus do Instituto Mamirauá em Tefé, com apoio do Grupo de Estudos e Desenvolvimento de Alternativas Energéticas - GEDAE/UFPA.
- O mais recente acréscimo à infraestrutura institucional, o prédio de pesquisas terrestres e acervos biológicos, foi instalado e teve a sua ocupação iniciada em novembro de 2013.
 
2014
- Início das comemorações dos 15 anos do Instituto Mamirauá.
- O Centro Vocacional Tecnológico começou a operar no primeiro semestre de 2014 recebendo a primeira turma.
- Inauguração da primeira incubadora de negócios sustentáveis do interior do estado do Amazonas, visando apoiar o processo de transferência tecnológica resultante das pesquisas de desenvolvimento de tecnologias para toda a sociedade, beneficiando a região do médio Solimões.
 
2015
‐ O Instituto Mamirauá e instituições parceiras promoveram a segunda edição do Prêmio Jovem Conservacionista em Tefé, com o tema onça-pintada. 
 
2016
- Início das primeiras atividades do Mestrado em Ciências Humanas (Teoria, História e Crítica da Cultura), da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) em parceria com o IDSM.
- Visita do sr. Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, em junho de 2016.
- Durante congresso no Chile, a pesquisadora do Instituto Mamirauá, Miriam Marmontel, é empossada como a nova presidente da Sociedade Latino-americana de Especialistas em Mamíferos Aquáticos (Solamac).
 
2017
- Os primeiros testes do projeto Providence, uma parceria internacional de pesquisa liderada pelo Instituto Mamirauá, tiveram início em abril, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, no Amazonas. Os experimentos foram conduzidos na floresta e na água em longos trechos dos aproximados 11.000 km² da reserva.
- A Biblioteca Henry Walter Bates, do Instituto Mamirauá, recebeu uma doação de mais de 1.400 livros. As obras foram doadas por Michael Goulding e faziam parte do acervo pessoal do pesquisador.
- O Instituto Mamirauá e o WWF Brasil lançaram, em agosto, a “Atualização e Composição da lista Novas espécies de Vertebrados e Plantas na Amazônia (2014-2015)”. O documento traz o levantamento das espécies da Amazônia descritas por pesquisadores de várias partes do Brasil e do exterior.
- O IDSM expandiu suas atividades de monitoramento do desembarque pesqueiro para mais dois municípios. Atualmente o sistema de monitoramento já representa a produção de cinco municípios, buscando assim representar de forma mais adequada a atividade pesqueira em todo o oeste do estado do Amazonas.
- O WCS, em parcerias com várias instituições, dentre elas o IDSM, deu início a um amplo projeto de ciência cidadã na Amazônia brasileira e peruana, voltado ao monitoramento dos peixes e da qualidade da água dos rios.
 
2018
- Em junho, o Comitê de Seleção escolheu o candidato João Valsecchi do Amaral, que exerce o cargo de Diretor Técnico Cientifico do IDSM, para ser o próximo Diretor Geral do IDSM.
- O Instituto Mamirauá iniciou a construção do Plano Gestão da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, juntamente com o Demuc, em uma parceria com o Funbio e Programa ARPA.
 

 

Financiadores