Instituto Mamirauá abre vagas na Amazônia

Publicado em: 19 de maio de 2021

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, unidade de pesquisa vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, está com seis vagas abertas para preenchimento dos seus quadros administrativo e de pesquisa. Cinco cargos exigem nível superior e um exige nível médio.

Três dos seis candidatos selecionados atuarão junto ao Grupo de Pesquisa em Ecologia e Conservação de Felinos no Projeto Providence, uma iniciativa do Instituto Mamirauá e da Fundação The Sense of Silence (TSOSF) financiada pela Fundação Gordon and Betty Moore. Juntas, as duas instituições estão desenvolvendo uma nova tecnologia baseada em Inteligência Artificial que tem como objetivo monitorar a biodiversidade amazônica em tempo real. As demais vagas são para as áreas de aquisições e contratos, ouvidoria e para a Biblioteca Henry Walter Bates, especializada em estudos da Amazônia.

Os candidatos devem ter disponibilidade para residir em Tefé, Amazonas, e sempre que necessário viajar às unidades de conservação onde o Instituto Mamirauá realiza suas pesquisas para acompanhar ou desenvolver atividades de campo.

Aqueles que desejam trabalhar na Amazônia e conhecer mais a fundo a realidade da região devem acessar os editais e verificar as orientações sobre inscrição e envio de documentação disponíveis em www.mamiraua.org.br.

Sobre o Instituto Mamirauá

O Instituto Mamirauá é um dos centros de excelência do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e referência nacional e internacional em desenvolvimento sustentável para a conservação da biodiversidade e melhoria da qualidade de vida da população amazônica. Localizado no coração da Amazônia, suas ações são voltadas à criação e à consolidação de modelos de uso da biodiversidade para o desenvolvimento econômico e social de comunidades tradicionais. Entre seus territórios de atuação estão as Reservas de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Amanã, no estado do Amazonas, que juntas somam uma área protegida de quase 3,5 milhões de hectares.

Apesar da abundância de recursos naturais, as distâncias e dificuldades de comunicação limitam o acesso das comunidades às políticas públicas e aos benefícios da vida moderna. À margem dos serviços de saúde, educação, eletricidade e do mercado, a região do Médio Solimões apresenta um dos mais baixos IDH do continente. Nesse contexto, o desafio do Instituto Mamirauá é produzir conhecimentos científicos e inovações tecnológicas que fundamentem estratégias e políticas públicas de conservação e uso sustentável da biodiversidade de forma participativa, sempre visando a melhoria da qualidade de vida das populações amazônicas.

A equipe do Intituto Mamirauá é formada por profissionais e pesquisadores com expertise técnica e profundo conhecimento do território, da biodiversidade e das dinâmicas sociais, que trabalham em estreita colaboração com as populações locais.



Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: