Parteiras tradicionais da Amazônia apresentam seu trabalho em exposição em Tefé

Publicado em: 25 de abril de 2019

Um dos ofícios mais antigos e importantes para a humanidade, a profissão de parteira ainda sofre com a pouca visibilidade e a falta de políticas públicas que possibilitem melhores condições para seu trabalho. O conhecimento tradicional dessas mulheres, que há tanto tempo auxilia mães e bebês na hora do parto, será apresentado ao público de Tefé, no Amazonas, na Segunda Exposição Cultural das Parteiras do Médio Solimões, que acontecerá na praça Santa Teresa, no dia 3 maio, das 17h às 21h30.

O evento é uma homenagem ao Dia Internacional da Parteira, celebrado no dia 5 de maio. “O objetivo é deixar em destaque a parteira tradicional. Esse dia é para dizer que as parteiras existem e que o trabalho delas é importante”, afirma Maria Mercês Bezerra da Silva, técnica do Programa Qualidade de Vida (PQV) do Instituto Mamirauá, que há mais de 20 anos trabalha com parteiras tradicionais no Amazonas.

A mostra é fruto de uma parceria entre o Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a Prefeitura de Tefé, a Associação de Parteiras Tradicionais do Amazonas Algodão Roxo (APTAM) e o Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI).


Rafael Forte
Encontro de parteiras realizado em 2014. Foto: Amanda Lelis
Encontro de parteiras realizado em 2014. Foto: Amanda Lelis
Encontro de parteiras realizado em 2014. Foto: Amanda Lelis

A mostra

Serão expostas fotografias dos encontros de parteiras organizados pelo Instituto Mamirauá e pela APTAM, desenhos pintados por crianças de escolas de Tefé e os utensílios e remédios utilizados pelas profissionais em seu trabalho. 

As parteiras da cidade e de outros municípios da região, como Uarini, Alvarães e Maraã, serão convidadas a trazerem seus próprios itens para a exposição. Entre eles, foram sugeridos ervas medicinais, objetos utilizados no trabalho, as garrafadas (misturas de ervas medicinais usadas, entre outras coisas, para fortalecer a criança e a mãe antes ou depois do parto), artesanato e comida, que poderá ser vendida ou compartilhada com os presentes. 

O Instituto Mamirauá levará à mostra um kit produzido pelo Ministério da Saúde e distribuído pelo PQV nos encontros de parteiras, junto com orientações sobre seu uso. O kit contem itens básicos para a boa prática do partejo, como uma tesoura cirúrgica, para cortar o cordão umbilical, uma bacia de metal, para a placenta, lanternas, para o caso da ausência de luz elétrica no local, fraldas e toalhas. 

Em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Tefé, a organização do evento propôs a escolas da região que o tema fosse abordado com as crianças nas aulas de arte e língua portuguesa. O resultado, em desenhos e versos também será apresentado. Haverá, ainda, a presença de parteiras indígenas e a apresentação de fotografias do trabalho realizado pelo DSEI. 

Durante o evento, os participantes poderão se envolver, seja compartilhando seus relatos de vida como parteira ou parturiente, ou prestando homenagens à profissão de parteira em versos, música ou qualquer outra forma de expressão.

Também no dia 3, às 9h, as profissionais serão celebradas em uma solenidade na Câmara de Vereadores de Tefé. A partir das 14h30, uma roda de conversa reunirá as parteiras presentes, que poderão partilhar experiências e trocar informações sobre a sua profissão.

Texto: Bernardo Oliveira 

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: