Pesquisadores do IDSM participam de evento sobre monitoramento de águas realizado em Foz do Iguaçu

Publicado em:  1 de dezembro de 2022

Uso de dados pode revolucionar ao trazer novas informações sobre rios e lagos do planeta


Durante os dias 21 a 25 de novembro, os pesquisadores do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamiraua (IDSM), Ayan Fleischmann e André Zumak participaram da 3º edição do South America Water from Space, em Foz do Iguaçu. O evento objetivou discutir os instrumentos de ponta e os desenvolvimentos científicos utilizados para caracterizar a variabilidade do ciclo da água na América do Sul, em especial a partir de dados oriundos de satélites. Espera-se que com o avanço de missões espaciais seja possível melhorar nosso conhecimento sobre mudanças futuras na disponibilidade de água no planeta, e em especial na bacia amazônica.

Os pesquisadores apresentaram resultados das pesquisas recentes do Grupo de Pesquisa em Análise Geoespacial, Ambiente e Territórios Amazônicos do IDSM. Entre os estudos, destaca-se a elaboração de uma plataforma online de mapeamento das áreas úmidas amazônicas e a identificação, a partir de dados de satélites, das áreas de erosão (terras caídas) e sedimentação das margens dos rios Solimões e Japurá, em comunidades ribeirinhas da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá. Também foi divulgado o livro 'Hidrologia da Amazônia a partir do espaço', baseado em artigo recente publicado por diversos pesquisadores da área, incluindo do IDSM, e que será lançado em breve com apoio do IDSM.

Foto: Ayan Fleischmann
Foto: Ayan Fleischmann

No evento, cerca de 130 pesquisadores do Brasil e do exterior, em especial do Chile, Peru, Bolívia, França e Estados Unidos, puderam dialogar sobre as novas possibilidades de uso de dados de satélites para monitorar as águas do continente. Foram também discutidos os potenciais usos do satélite SWOT ('Surface Water and Ocean Topography'), que será lançado pela NASA (National Aeronautics and Space Administration) e CNES (Centre National d'Études Spatiales, a agência espacial francesa) em dezembro de 2022 e permitirá uma verdadeira revolução no monitoramento dos rios e lagos do planeta. O pesquisador do IDSM Ayan Fleischmann é membro do time científico da missão SWOT, integrando também o Grupo de Trabalho SLEW (SWOT Lakes and Wetlands Sciences), que analisa os potenciais usos do satélite para monitoramento de áreas úmidas, como aquelas existentes na Reserva Mamirauá.

O evento foi organizado pelo Serviço Geológico Brasileiro (SGB), IRD (Institut de recherche pour le développement), Itaipu Binacional, CNES, ABRHidro e UFRGS, e foi transmitido ao vivo pelo canal no Youtube do SGB (assista às apresentações em: https://www.youtube.com/c/TVCPRM/streams).

Texto: Ayan Fleischmann

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: