Em 2019, Instituto Mamirauá realizou oficinas e implementou sistemas agroflorestais

Publicado em: 30 de dezembro de 2019

Programa de Manejo de Agroecossistemas (PMA) realizou ações pelo Projeto BioREC, do Fundo Amazônia

Agrofloresta é o uso da terra em consórcio com os processos da floresta. No primeiro semestre de 2019, o Instituto Mamirauá realizou oficinas e implementou sistemas agroflorestais (SAFs) na região do Médio Solimões, na Amazônia Central.

As atividades foram realizadas pelo projeto Mamirauá: Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade em Unidades de Conservação (BioREC), que contou com recursos do Fundo Amazônia. 

O manejo de agroecossistemas é uma das cinco linhas do projeto, que terminou em junho de 2019.

Cerca de 60 pequenos agricultores foram capacitados para implementar e manejar sistemas agroflorestais (SAFs) em duas reservas de desenvolvimento sustentável: Piagaçú-Purus e Amanã.

O objetivo foi incentivar a diversidade de cultivos, contribuir para a agrobiodiversidade e com fontes alternativas de geração de renda, além de trazer melhorias no manejo do solo.

Durante o período, foram implementadas onze áreas de SAFs que continuam a serem manejadas pelas famílias que moram em comunidades ribeirinhas do interior da Amazônia. “Estas áreas estão produzindo uma grande diversidade de cultivos locais e regionais, onde incluem-se a produção de mandioca, frutíferas, hortaliças e plantas medicinais utilizadas para a subsistência de famílias e comercialização em feiras locais”, atesta o relatório do projeto.

Manejo de gado

Não foi só a agricultura abordada nas oficinas. Foram realizadas capacitações e assessoria em quatro oficinas que atingiram mais de 30 criadores de gado da Reserva Amanã.

Os cursos tiveram a finalidade de implementar o sistema de Pastoreio Racional Voisin (PRV), método que permite a produção agropecuária de baixo impacto.

Ao longo do projeto foram implementadas quatro áreas experimentais PRV para o manejo pecuário agroecológico, sendo uma unidade demonstrativa, localizada em área rural no município de Tefé e três áreas experimentais na RDSA. As áreas incluem em sua estrutura o sistema de energia solar para abastecimento de água dentro das parcelas, já instalados e a instalação das cercas ao redor dos sistemas, que seguem em fase de instalação pelos criadores.

O Programa de Manejo de Agroecossistemas (PMA) do Instituto Mamirauá, organização social fomentada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), também realizou cerca de 60 atividades de assessoria técnica para acompanhar o desenvolvimento das práticas de manejo agroflorestais e em torno de 100 para orientar o manejo pecuário agroecológico.

O programa também realizou atividades voltadas à implementação de sistemas de energia solar para armazenamento de polpas de frutas e monitoramento de conversão de habitats.


Everson Tavares

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: