Cartilha orienta comunidades rurais para boas práticas de produção de farinha

Publicado em: 17 de dezembro de 2019

Publicação foi produzida com apoio do Instituto Mamirauá e contém informações que vão auxiliar os agricultores a melhorarem seus produtos

Já está disponível para download gratuito a cartilha “Casa de Farinha e Boas Práticas de Produção com base na Indicação Geográfica da Farinha Uarini”, que tem o objetivo de auxiliar agricultores a melhorarem suas casas de farinha. Com 28 páginas, a publicação aborda também temas como a Indicação Geográfica da Farinha Uarini, variedades de mandioca, casa de farinha e seus utensílios e, por último, apresenta as boas práticas de produção. 

Segundo Francisco Falcão, um dos autores da publicação, o documento contempla práticas de produção definidas pelos próprios produtores e produtoras de farinha de mandioca em colaboração com técnicos. “A produção de farinha de mandioca representa uma prática cultural valorizada e compartilhada por gerações ao longo de centenas de anos, se consolidando como uma das principais culturas agrícolas para a subsistência de populações tradicionais da Amazônia”, afirmou.

Uma das recomendações da cartilha é a construção de um forno ecológico na estrutura da Casa de Farinha, tecnologia criada pelo Instituto Mamirauá. O forno deve ser totalmente fechado e sem rachaduras, para diminuição da entrada de oxigênio e melhor aproveitamento da queima da lenha. É instalada uma porta de ferro na entrada da lenha e incluída uma grelha interna no forno para separar as cinzas da lenha, com isso, há um melhor aproveitamento na queima. É instalada uma chaminé que canaliza a saída da fumaça para fora do ambiente de trabalho. São mudanças que diminuem a quantidade de fumaça gerada na produção da farinha e 30% da quantidade de lenha utilizada pelas famílias.

A publicação é uma das ações de um projeto desenvolvido pela Associação dos Produtores Agroextrativistas da Flona de Tefé e entorno (Apafe), em parceria com o Instituto Mamirauá e financiamento do edital “Floresta em pé”, gerenciado pela Fundação Amazonas Sustentável com recursos do Fundo Amazônia. A Indicação Geográfica da Farinha Uarini também tem o apoio do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Texto: Eunice Venturi


Farinha do interior da Amazônia tem indicação geográfica (Foto: Bernardo Oliveira)
Publicação aborda variedades de mandioca (Foto: Bernardo Oliveira)

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: