Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá

Institucional

Rafael Forte

Linha do tempo

1980

- O primatólogo José Márcio Ayres inicia seus estudos nos rios da região do Médio Solimões.

1990

- Criação da Estação Ecológica Mamirauá (EEM).
- Criação do Projeto Mamirauá.

1992

- Criação da Sociedade Civil Mamirauá (SCM).

1993

- A EEM realiza sua primeira Assembleia Geral.

1996

- Estação Ecológica Mamirauá é transformada em Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá.
- SCM publica o primeiro plano de manejo da Reserva Mamirauá.
- SCM coordena o Projeto Corredores Ecológicos do Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PPG7).

1998

- Governo do Amazonas cria a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã.

1999

- Criação do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá.
- O Presidente da República Fernando Henrique Cardoso qualifica o Instituto Mamirauá como Organização Social ligada ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

2000

- A categoria de RDS é aprovada pelo Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC).

2001

- Firmado o primeiro contrato de gestão entre o Instituto Mamirauá e o MCT.
- Início da replicação do sistema de manejo de pirarucu para pescadores de Santarém (PA) e da Guiana Inglesa.

2002

- O Presidente da República Fernando Henrique Cardoso visita a Reserva Mamirauá.
- José Márcio Ayres é agraciado com o Prêmio Rolex por suas realizações no âmbito da ciência para a conservação.

2003

- As Reservas de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Amanã são reconhecidas pela UNESCO como Sítio do Patrimônio Natural da Humanidade.

2004

- Início dos abates experimentais do manejo de jacarés.
- Instituto Mamirauá promove o 1º Seminário Anual de Pesquisa (SAP) e estrutura os Grupos de Pesquisa.
- Inauguração da nova sede do Instituto Mamirauá, construída com recursos obtidos junto à Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP/MCT).

2005

- Moradores das reservas passam a assumir a responsabilidade pela organização das assembleias gerais, com apoio do Instituto Mamirauá e outras instituições.

2006

- Elaboração do primeiro Plano Diretor do Instituto Mamirauá, visando consolidar sua inserção no cenário da ciência e tecnologia da Amazônia.

2007

- Levantamento populacional em toda a região da área subsidiária (864.000 ha) da Reserva Mamirauá e proposta de zoneamento dessa área.

2008

- Inauguração do prédio destinado a abrigar a equipe de Pesquisa, obra com financiamento da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP/MCT).
- Início do rastreamento on-line da produção de pirarucu manejado.

2009

- Construção do Laboratório de Selva na Reserva Amanã.

2010

- Instituto Mamirauá promove o 1º Seminário de Manejo Florestal Comunitário em Área de Várzea, com apoio de outras instituições.
- Governo do Estado do Amazonas oficializa a criação do Conselho Gestor da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá.
-Pesquisador do Instituto Mamirauá, Robinson Botero-Arias, é agraciado com o "Castillo´s Conservation Prize", durante o 20º Encontro do Grupo de Especialistas em Crocodilianos da União Internacional Conservação da Natureza (IUCN), realizado em Manaus (AM).

2011

- Programa de Manejo de Pesca, do Instituto Mamirauá, é premiado pela Secretaria da Convenção de Ramsar das Nações Unidas, com a iniciativa de manejo de pirarucus.
- Governo do Estado do Amazonas assina, em junho, a resolução nº 008, de 22/06/2011, do Conselho Estadual do Meio Ambiente do Amazonas (CEMAAM) e instrução normativa nº 001, de 29/06/2011, que regulamentam o manejo, abate e processamento de jacarés em unidades de conservação estaduais.  As normas foram idealizadas a partir da formação de um grupo de trabalho (GT), criado em janeiro, com participação do Instituto Mamirauá.

 

2012
 
- Gravações na Reserva Mamirauá do filme "Mamirauá", pela O2 Filmes, por solicitação do Governo Federal do Brasil para ser apresentado durante a Rio + 20, que foi realizada em junho, no Rio de Janeiro. 
- Realização do 1º Seminário Internacional sobre Conservação e Manejo de Pirarucu em ambientes naturais, em Manaus (AM).
- Vencedor do Prêmio Finep de Inovação 2012, na categoria Tecnologia Social, com o experimento de Sistema de Abastecimento de Água que consiste no bombeamento do recurso natural com uso de energia solar fotovoltaica.
 
2013

- Instituto Mamirauá participa de um esforço internacional, com parceiros de outros países latino-americanos, visando levantar populações de mamíferos aquáticos em várias bacias de rios da Amazônia.

- Na categoria Assessoria de Comunicação, o Instituto Mamirauá vence 4º Prêmio Fapeam de Jornalismo Científico 2013.
- Instituto Mamirauá abre inscrições para a primeira turma do Centro Vocacional Tecnológico de Tecnologias Sociais da Várzea Amazônica.
-Com recursos do Fundo Amazônia, o Instituto Mamirauá deu início às atividades do projeto para a redução das emissões por desmatamento e degradação ambiental.
- Início das atividades do primeiro experimento em sistemas fotovoltaicos interligados à rede pública em toda Amazônia. Este experimento está sendo desenvolvido no campus do Instituto Mamirauá em Tefé, com apoio do Grupo de Estudos e Desenvolvimento de Alternativas Energéticas - GEDAE/UFPA.
- O mais recente acréscimo à infraestrutura institucional, o prédio de pesquisas terrestres e acervos biológicos, foi instalado e teve a sua ocupação iniciada em novembro de 2013.

-Pesquisador do Instituto Mamirauá, Felipe Ennes Silva, vence o Prêmio Liza Veiga de Conservação concedido durante o 2º Congresso Latino-Americano de Primatologia realizado em Recife (PE), de 05 a 09 de agosto.

 

Financiadores